Radioguide.fm

Radioguide.fm

envia ao seu amigo

Muzangala TV

Loading...

LOUCO SERÃO

GALERIA

LOUCO SERÃO

Etiquetas

configuração rato

Mais Uma Grande Voz Que Se Cala!!

Mincult destaca Artur Adriano como exemplo a seguir pela nova geração de músicos

 
 
Luanda - O Ministério da Cultura (Mincult) destacou hoje, em Luanda, o músico Artur Adriano, falecido neste sábado, em Luanda, por doença, como uma figura cultural cujo exemplo deve servir de referência para a nova geração.
 
 
Em mensagem de condolências pela morte do artista enviada hoje, segunda-feira, à Angop, o Mincult realça ter sido com profunda dor e consternação que se tomou conhecimento do falecimento do cantor e compositor Artur Adriano.
 
 
“Militante activo da Canção Política, integrou o histórico agrupamento musical Kissanguela, em 1974, depois da passagem pelo Estrela Negra e os Divuas do Ritmo, como vocalista. Artur Adriano está entre os compositores angolanos cujos trabalhos
 
 
integram o Património Imaterial Nacional, a julgar pela importância histórica e cultural da sua obra, que exalta as ocorrências pitorescas do quotidiano dos musseques de Luanda, a beleza feminina, o Carnaval, e as iguarias tradicionais”, lê-se na mensagem.
 
 
Realça que Artur Adriano tornou-se, cedo, numa importante figura da Música Popular Angolana, por decidir, em 1966, seguir o percurso a solo, instaurando uma relevante transmutação estética do seu trabalho, a nível do acompanhamento instrumental e dos arranjos, o que lhe valeu vários Prémios e distinções de Mérito e de Honra.
 
 
“A sua morte deixa um vazio irreparável no seio das grandes figuras históricas da Música e da Cultura Nacional. Em meu nome pessoal, e do colectivo de trabalhadores do Ministério da Cultura, endereço os meus mais profundos sentimentos de pesar à família enlutada e à classe artística em geral”, adianta.
 
 
Artur Adriano nasceu a 17 de Dezembro de 1947 no bairro Marçal, em Luanda. Fez parte do agrupamento Kissanguela, em 1974, que culminou com a gravação da canção "Povo com Neto", em 1976, uma composição em homenagem ao poeta Agostinho Neto.
 
 
Enquanto músico, Artur Adriano dividiu estúdios e palcos com os Kiezos, Gingas, Anazanga, Águias-reais, Musangola e Ndimba Ngola.
 
 
Artur Adriano já foi homenageado pela importância histórica e cultural da sua obra, no dia 27 de Março de 2005, na 35ª edição do programa Caldo do Poeira, da Rádio Nacional de Angola, em acto realizado no Centro Recreativo e Cultural Kilamba. Na ocasião, foi lançado o CD "Memórias de Artur Adriano", um trabalho discográfico referencial da carreira do cantor, que inclui as canções: "Belita", "Santa", "Kalunga", "Povo com Neto","Ndoce yá Lelé", "Nvula", "Carnaval", "São Saravante".
 
 
Artur Adriano arrebatou, em 2005, o prémio Semba de Ouro, num concurso realizado pela União Nacional de Artistas e Compositores, tendo sido distinguido com o Diploma de Honra, na categoria pilares da música angolana, pela mesma agremiação, no dia 30 Setembro de 2011, "pelo seu contributo para o desenvolvimento da Música Popular Angolana".
 

 
 
Fonte: ANGOP