Radioguide.fm

Radioguide.fm

envia ao seu amigo

Muzangala TV

Loading...

LOUCO SERÃO

GALERIA

LOUCO SERÃO

Etiquetas

configuração rato

Passos firmes para o crescimento!

FAO homenageia Angola por atingir primeiro objectivo do milénio!


Angola foi homenageada hoje, em Roma, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), pelo cumprimento do primeiro Objectivo de Desenvolvimento do Milénio (ODM), ao reduzir para metade a percentagem da população afectada pela fome e mal nutrição.

O director-geral da FAO, José Graziano da Silva, que expressou a sua satisfação pelo trabalho de Angola no combate à fome, entregou o diploma de reconhecimento ao ministro angolano da Agricultura, Afonso Pedro Canga, que representou na cerimónia o presidente José Eduardo dos Santos.

No discurso de agradecimento, Afonso Pedro Canga destacou que ao reduzir em metade as pessoas mal nutridas, o Governo angolano está a dar passos significativos no que se refere ao cumprimento do compromisso de combater a fome e a mal nutrição no país e no mundo.

Segundo o governante, esta proeza deve-se “à visão estratégica do Chefe do Estado, José Eduardo dos Santos, que elegeu a segurança alimentar, o combate à fome, à pobreza e o desenvolvimento rural como prioridades”.

O ministro explicou que, para se alcançar estes resultados, o Governo angolano implementou e continua a implementar um conjunto de programas nos domínios social e económico-produtivo, especificamente nos sectores da agricultura, pescas, indústria, emprego, construção de infra-estruturas, transportes, comércio, desminagem, saúde, assistência social, educação e ensino, formação profissional, assim como uma boa governação, que se traduz na gestão cuidada dos recursos públicos.

O titular da Agricultura recordou que, logo após o fim do conflito, em 2002, o Governo implementou com êxito um vasto e complexo programa de reassentamento das pessoas deslocadas e refugiadas, por causa da guerra, e um programa de reinserção social, económica e produtiva de milhares de ex-militares.


Neste âmbito, disse, regressaram para as zonas de origem ou de preferência mais de quatro milhões de pessoas que começaram a produzir os seus alimentos e deixaram de depender da ajuda alimentar.


Do mesmo modo, a agricultura familiar foi redinamizada e apoiada técnica e financeiramente, produzindo alimentos para o consumo e para a renda da família. E as crianças e jovens nas escolas recebem uma merenda, acrescentou.

Para Afonso Canga, este reconhecimento encoraja o Governo angolano a prosseguir com mais dinamismo e determinação nos esforços de reconstrução nacional, visando satisfazer as necessidades e as aspirações justas dos angolanos, em particular, o direito à alimentação.

“O Executivo angolano, liderado pelo engenheiro José Eduardo dos Santos, vem aumentando, anualmente, os orçamentos destinados à segurança alimentar e nutrição, à saúde, à educação, à assistência social e ao combate à pobreza”, disse.


Desta feita, sublinhou que a produção alimentar tem conhecido aumentos, os níveis de emprego têm subido, os índices de pobreza estão a reduzir e a esperança de vida dos angolanos está a aumentar.

O ministro da Agricultura lembrou, entretanto, o longo caminho por percorrer para erradicação da fome e da pobreza, no mundo. Por esta razão, sublinhou, todos os meios e esforços devem ser mobilizados para a erradicação deste flagelo, que insistentemente persegue a humanidade, há séculos.


Para tal, reafirmou o compromisso de Angola e do seu Governo de estar na linha da frente neste combate, ao lado de outros países e organizações, para que ao nível nacional, regional e internacional se possa alcançar níveis de segurança alimentar aceitáveis.


Afonso Canga reconheceu a contribuição dos camponeses, agricultores, pescadores, do sector privado, das igrejas, das organizações não-governamentais, dos académicos e da juventude nos resultados que o país tem vindo a alcançar

O ministro foi muito aplaudido quando rendeu uma especial homenagem às mulheres que “são as principais produtoras de alimentos para a família no meu país e no mundo. Sem a sua participação e entrega os resultados seriam diferentes”.

De igual forma agradeceu a FAO, FIDA, PAM e os restantes organismos do sistema das Nações Unidas pelo apoio que têm dado, assim como os países, parceiros de cooperação bilateral.

Ao terminar, o governante angolano disse que esta cerimónia tem lugar, hoje, dia 16 de Junho, dia dedicado à Criança Africana, e aproveitou o momento para convidar os presentes a tudo fazerem para que nenhuma criança africana e de outros continentes morra ou fique mental ou fisicamente afectada por causa da fome.


Ainda a propósito do reconhecimento de Angola, o Representante de Angola junto à FAO, o embaixador Florêncio de Almeida, disse que o galardão vem premiar os esforços do Governo angolano e do presidente José Eduardo dos Santos.

Para o diplomata, este reconhecimento contraria, por outro lado, certa imprensa e alguns sectores do Ocidente que têm posto em causa o engajamento do Executivo nesta ingente tarefa.


Por seu lado, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, felicitou, em declarações à imprensa, o Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, pelos seus esforços no combate à fome e à pobreza.

Outros países da CPLP também homenageados hoje são o Brasil e São Tomé e Príncipe.

Os três países lusófonos integram o grupo de 20 países que cumpriu o objectivo número 1. O progresso foi medido nos biénios 1990 a 1992 e de 2010 a 2012.

A delegação angolana é também integrada pela secretária de Estado da Cooperação do Ministério das Relações Exteriores, Ângela Bragança, pela ministra das Pescas, Vitória de Barros Neto, e pelo representante de Angola junto daquela organização da ONU, em Roma, o embaixador Florêncio de Almeida.

A cerimónia contou com a presença de cerca de uma dezena de Chefes de Estado.
 
 
Fonte: ANGOP